You are browsing the archive for Destaque.

10 práticas de transparência e boa governança de 2018: Serenata é premiada no exterior

- October 8, 2019 in Destaque, Eventos, governo aberto, transparência

Em um evento que aconteceu no dia 02 de outubro em Madrid, a Telefónica e a revista Compromiso Empresarial anunciaram as 10 iniciativas reconhecidas como as melhores práticas de transparência e boa governança do ano de 2018 na Espanha e na América Latina. O processo aconteceu em duas etapas: entre as mais de 70 iniciativas inscritas o júri selecionou 20 semifinalistas, em seguida, com a ajuda de voto popular, foram escolhidas as 10 vencedoras:
  • Maldita.es (Espanha);
  • Serenata de Amor (Brasil);
  • Aplicación telemática T-Canaria (Espanha);
  • Boardchain (Espanha);
  • Veeduría ciudadana en La Guajira (Colômbia);
  • Zona de verificación de Newtral (Espanha);
  • Instituto para las Relaciones Laborales Transparentes (Espanha);
  • Informe de igualdad de género de Iberdrola (Espanha);
  • Modelo de gestión del Festival del Teatro Clásico de Mérida (Espanha);
  • E.V.A (‘Equal Vehicles for All’).
Leia a matéria completa no Compromiso Empresarial. Flattr this!

4º Encontro Brasileiro de Governo Aberto

- October 2, 2019 in Destaque, Eventos, governo aberto

Existe um campo emergente no Brasil que orbita em torno da ideia de Governo Aberto, com novas iniciativas, instrumentos e práticas, que possuem um grande potencial para promover um impulso democrático na governança das políticas públicas, na relação entre o Estado e a sociedade e no funcionamento dos órgãos públicos. O Encontro Brasileiro de Governo Aberto nasceu, em 2016, com o objetivo de criar um espaço de integração desse campo, pois apesar da existência de alguns eventos específicos com foco em participação, transparência, dados abertos ou tecnologia, ainda faltava um espaço comum para tod@s. O Encontro conta com os seguintes objetivos:
  • Integrar organizações da sociedade civil, órgãos públicos, pesquisadores, universidades, movimentos sociais que atuam com temas de governo aberto;
  • Debater os avanços e os desafios da promoção da transparência e do acesso à informação, da participação, da prestação de contas e do uso da tecnologia e inovação;
  • Apresentar e debater iniciativas, práticas e políticas de governo aberto, bem como as ações e os compromissos do Brasil junto a Open Government Partnership (OGP);
O 4º Encontro é organizado pelas seguintes entidades: Agenda Pública; Artigo 19; Ceweb.Br / Nic.Br; Controladoria Geral da União; Fast Food da Política Imaflora; Instituto de Governo Aberto; Movimento Acredito; Open Knowledge Brasil; Prefeitura do Município de São Paulo – Controladoria Geral do Município e Supervisão para Assuntos de Governo Aberto. O Evento tem apoio de: Open Government Partnership (OGP); Fórum de Gestão Compartilhada da Cidade de São Paulo A programação será disponibilizada em breve no site do 4º Encontro Brasileiro de Governo Aberto. Confirme presença e convide os amigos por meio do evento do Facebook. Flattr this!

OKBR participa do 9o Fórum da Internet no Brasil

- October 2, 2019 in Destaque, Eventos

O Fórum da Internet no Brasil e Pré IGF Brasileiro é promovido anualmente pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) desde 2011 e consiste em atividade preparatória para o Fórum de Governança da Internet (IGF), evento global promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Este ano, a 9edição do evento acontece entre os dias 01 e 04 de outubro, em Manaus (AM). O objetivo é incentivar representantes dos setores que o compõem a acompanharem e opinarem sobre as questões mais relevantes para a consolidação e expansão de uma Internet. Além das sessões principais, onde serão discutidos discutidos temas de grande importância para o desenvolvimento da Internet, a agenda do Fórum conta também com 27 workshops organizados por diferentes atores da sociedade com interesse no desenvolvimento da Internet no Brasil. Confira o site do evento. Fernanda Campagnucci, diretora-executiva da Open Knowledge Brasil (OKBR), fará parte do workshop “Design centrado nas pessoas e dados abertos na Web: inclusão e ética na Inteligência Artificial”. Neste workshop será discutida a importância de uma abordagem humanística em Inteligência Artificial para que os projetos desenvolvidos levem em consideração as reais necessidades humanas, incorporem valores éticos, respeitem diferenças culturais e eliminem discriminações. O tema envolve o conceito de dados abertos na Web e diferentes técnicas de design centrado nas pessoas em projetos de aprendizado de máquina para elaboração de sistemas mais justos e efetivos.   Detalhes sobre o workshop “Design centrado nas pessoas e dados abertos na Web: inclusão e ética na Inteligência Artificial” Dia: 04/10, horário: 16:30 – 18:00 Local: Salão D, Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques – Manaus (AM) Flattr this!

Programa Embaixadoras: espalhe tecnologias cívicas como o Serenata de Amor por todo o Brasil

- September 11, 2019 in Destaque, Open Knowledge Brasil

No último dia 7 de setembro a Operação Serenata de Amor completou 3 anos de existência. Desde 2016, muita coisa aconteceu: alguns objetivos do projeto se alteraram, a exposição na mídia cresceu, a Serenata se fundiu com a Open Knowledge Brasil e deu origem ao Programa de Inovação Cívica da organização. Uma única coisa não mudou: o desafio que é implementar projetos de tecnologia cívica em um país tão grande quanto o Brasil. Na trajetória da Serenata, dividimos, entre os integrantes, participações em centenas de eventos por vários estados, e até no exterior. Foram palestras, workshops e mesas de discussão. Em uma conta imprecisa, é possível dizer que o projeto foi apresentado pessoalmente para algumas dezenas de milhares de pessoas. Com o tempo e a exposição de um trabalho sólido, cada vez mais espectadores nos procuravam querendo participar do projeto. E se por um lado isso era um grande reconhecimento, por outro era um grande desafio. Como coordenar a expansão da Operação Serenata de Amor e de outros projetos de inovação cívica para outras cidades de forma assíncrona e bem distribuída? Finalmente, no 3º aniversário da Serenata, a Open Knowledge Brasil  lança uma iniciativa que auxilia nessa descentralização da participação, empoderando ainda mais a população: o Embaixadoras. O Embaixadoras surge para ampliar a rede de colaboração da Operação Serenata de Amor pelo território. Como o nome diz, a ideia é dar posse a cidadãos de todo o Brasil para cuidarem de um pedacinho do nosso trabalho de tecnologia cívica em suas cidades. Podemos, assim, ter várias embaixadas espalhadas por aí com o objetivo de fazer inovação cívica e melhorar a nossa democracia, com uso de tecnologias e metodologias abertas. Esse empoderamento se dará pelo suporte que daremos para que cada pessoa embaixadora possa realizar eventos, workshops e sprints em suas regiões, aumentando a eficiência do trabalho. Cada embaixadora terá como papel organizar esses encontros, documentar as iniciativas e manter uma comunicação fluida com a rede nacional, além, é claro de garantir um ambiente inclusivo e diverso. Um dos objetivos do Embaixadoras é dar continuidade ao projeto Querido Diário, que demanda um esforço coletivo descentralizado. Seu propósito é destrinchar os diários oficiais dos municípios brasileiros para levar informação à população local. Já pensou que incrível se tivermos uma grande quantidade de cidades com o Querido Diário ativo? O Embaixadoras vem para ajudar a viabilizar isso. Outro ponto de atenção é sobre a possibilidade de dar início a uma nova fase da Operação Serenata de Amor. Aqui, o horizonte é bem amplo. Podemos ter uma perspectiva de ação mais regionalizada, bem como podemos unir esforços para conseguir a evolução da abertura de dados no Senado Federal. Cada embaixadora vai ajudar na organização para que as propostas possam ser integradas à Operação. Para se tornar uma embaixadora, a pessoa não precisa ter uma formação específica. Pode ser técnica, pode ser jornalista, servidora pública e até ter fritado hambúrguer. Aqui vale tudo. A Operação Serenata de Amor é a favor da diversidade e do empoderamento da população a partir da inovação cívica. Essa semana, a equipe da OKBR recebeu Irio Muskopf, um dos fundadores da Serenata, para falar um pouco em uma live sobre a ideia do Embaixadoras e quais os objetivos teremos nessa fase do projeto. O vídeo está disponível para todos nesse link. Para fazer parte, basta preencher esse formulário e aguardar os próximos passos. Até o fechamento desse texto, mais de 50 pessoas embaixadoras já haviam se cadastrado, de 38 cidades diferentes. Esperamos você também. Flattr this!

No Camp Serrapilheira, OKBR apresenta projeto para tornar ciência brasileira mais aberta e colaborativa

- September 5, 2019 in Destaque, Open Knowledge Brasil

No dia 5 de setembro, a Open Knowledge Brasil participa de uma das sessões de apresentações do Camp Serrapilheira 2019. A apresentação será às 18h30 no auditório da Casa Firjan, junto de nomes como Deutsche Welle, Agência Pública, Ciência na rua, Ciência Hoje e Editora UFMG. Na apresentação, Fernanda Campagnucci, diretora-executiva da OKBr, fala sobre um projeto para tornar a ciência brasileira mais aberta e colaborativa. Com base nos princípios de ciência aberta e tomando como referência experiências e nacionais e internacionais,  a proposta é mapear e disseminar boas práticas de compartilhamento de dados e metodologias colaborativas de pesquisa. A OKBr foi uma das 36 iniciativas escolhidas para participar da segunda edição do Camp Serrapilheira, evento com o intuito de ajudar a ampliar a presença da ciência na cultura brasileira sob diferentes abordagens: jornalismo, educação, arte, produção audiovisual, entre outras. De 5 a 8 de setembro, o encontro abordará a importância da qualidade narrativa e de formas experimentais para a divulgação científica e promoverá uma reflexões sobre boas práticas de checagem de dados e sua importância para manter a precisão das informações na produção de conteúdo sobre ciência em um contexto de desinformação. As atividades do Camp Serrapilheira são gratuitas, abertas ao público e acontecem em dois lugares: na Casa Firjan e no Cinema Estação NET Rio. Grande parte da programação contará com interpretação simultânea de inglês para português e de Libras. Confira aqui a agenda completa do evento. Flattr this!

OKBR é selecionada para o Camp Serrapilheira 2019

- August 27, 2019 in Destaque, Open Knowledge Brasil

Em agosto, o Serrapilheira divulgou sua lista de organizações selecionadas para participar do Camp Serrapilheira 2019, principal iniciativa do Programa de Divulgação Científica do instituto. A Open Knowledge Brasil foi uma das 36 iniciativas escolhidas para ajudar a ampliar a presença da ciência na cultura brasileira sob diferentes abordagens: jornalismo, educação, arte, produção audiovisual, entre outras. O encontro de divulgação científica do instituto acontecerá de 5 a 8 de setembro, no Rio de Janeiro, e é composto por duas fases. Na primeira, os selecionados são convidados para o evento no início de setembro e apresentam sessões, conhecem referências internacionais na área, participam de workshops e formam redes de colaboração. Na segunda fase, os participantes das edições de 2018 e 2019 concorrem a recursos financeiros do instituto para realizar projetos voltados à promoção do pensamento e da cultura científica. Até 15 iniciativas serão contempladas com um apoio de R$ 100 mil, cada, para utilizar durante um ano. Nesta edição do Camp, a maior parte das atividades será aberta ao público. Detalhes sobre a programação serão divulgados em breve no site do evento. Flattr this!

‘Apagão’ de dados é risco para toda a sociedade: queremos mais transparência e respeito à ciência

- August 5, 2019 in Dados Abertos, Destaque, Open Knowledge Brasil

As entidades abaixo-assinadas acompanham com preocupação a tendência do atual governo de contestar, sem base científica, dados produzidos por agências do próprio governo e institutos de pesquisa de sólida reputação. Também alertam para os riscos da interrupção de estudos científicos e mudanças em metodologias há anos aplicadas para apoiar políticas de interesse público, como as de preservação ambiental e de combate ao desmatamento. A notícia da última sexta-feira (2 de agosto) da exoneração do diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, Ricardo Galvão, vem na esteira de uma série de outras ações direcionadas a institutos nos últimos meses, como IBGE, Ibama e Inep. Em vez de agir sobre a realidade, o governo prefere atacar os dados que a descrevem, demonstrando pouco apreço por estudos científicos e evidências que, na verdade, deveriam embasar as políticas públicas. Os dados do INPE que foram alvo de questionamento vêm sendo tornados públicos ativamente na plataforma Terra Brasilis, lançada pelo instituto em 2018 para reunir dados de dois importantes sistemas de monitoramento da vegetação nativa: o PRODES e o DETER. A divulgação desses dados indicava um aumento do desmatamento no país, o que gerou desconforto em setores do governo. O acesso aos dados públicos é fundamental para que a sociedade possa observar a realidade, realizar análises independentes sobre ações do governo e exercer o controle social para que os interesses públicos sejam defendidos. O acesso à informação pública está previsto na Constituição brasileira e regulamentado pela Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação Pública – LAI). Por isso, dados públicos não devem ser vistos como instrumento publicitário, ou seja, usados apenas quando indicam situações favoráveis ou quando comprovam posições pré-estabelecidas. O compromisso de disponibilização de dados públicos completos, atuais e acessíveis é fundamental para que as discussões e decisões sobre políticas públicas sejam alicerçadas em fatos, evidências e participação social. Além disso, o Brasil aderiu a compromissos internacionais na área de governo aberto, propondo-se a ampliar a informação disponível sobre atividades governamentais e implementar os mais altos padrões de integridade profissional em toda a administração pública. As recentes intervenções em institutos que coletam e disponibilizam dados cruciais para accountability e controle social são contrários a essas diretrizes, além de opostos a princípios constitucionais de moralidade, impessoalidade, publicidade e eficiência. Interromper a divulgação de dados que permitem o acompanhamento de outras obrigações internacionais, como o Acordo de Paris e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, traz impactos negativos na imagem do Brasil, no âmbito das relações internacionais. Os dados resultantes do trabalho de institutos de pesquisa e produção científica como o INPE não pertencem a um governo ou administração vigente, mas a toda a população brasileira. As organizações que assinam esta carta ressaltam a importância de que a produção e publicação dos dados seja mantida e fortalecida com os insumos necessários. Qualquer mudança metodológica na forma de coleta ou análise desses dados deve ser devidamente esclarecida e debatida com a sociedade civil, tratada com transparência e de acordo com os princípios de governo aberto e dos acordos internacionais. Assinam: Abraço Guarapiranga Agenda Pública ARTIGO 19 BRASIL Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) Espaço de Formação Assessoria e Documentação Greenpeace Brasil Instituto Centro de Vida Instituto Cidade Democrática Instituto Construção Instituto de Governo Aberto Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (IMAFLORA) Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social Observatório do Código Florestal (OCF) Open Knowledge Brasil (OKBr) Programa Cidades Sustentáveis Rede GTA – Grupo de Trabalho Amazônico Rede pela Transparência e Participação Social (RETPS) Transparência Brasil Flattr this!

Fernanda Campagnucci assume direção geral da Open Knowledge Brasil

- August 1, 2019 in Destaque, Open Knowledge Brasil

A partir do mês de agosto, a Open Knowledge Brasil está sob novo comando: Fernanda Campagnucci assume a direção das atividades da organização em todas as suas frentes. A jornalista chega para o lugar ocupado desde julho de 2017 por Natália Mazotte, que deixa a direção para se tornar JSK Fellow na Universidade de Stanford, na Califórnia. Natália passará a compor o Conselho Deliberativo da Open Knowledge. Fernanda atuou como gestora pública na Prefeitura de São Paulo pelos últimos 6 anos, onde foi responsável pela política municipal de transparência, abertura de dados e integridade na Controladoria Geral do Município. Além disso, Campagnucci também liderou diversos projetos na área de tecnologia, inovação e governo aberto na Secretaria Municipal de Educação. “É uma honra poder dar continuidade ao trabalho da OKBR e contribuir para consolidar e ampliar os projetos já iniciados. Em um cenário de ameaças a princípios democráticos que vivemos no Brasil e no mundo, é cada vez mais importante o fortalecimento dessa rede que aposta na transparência e nas tecnologias abertas e colaborativas para qualificar o debate e defender direitos fundamentais”, afirmou Fernanda. A nova diretora tem entre os principais objetivos a ampliação do alcance da Escola de Dados, visando a formação de ainda mais profissionais capacitados a atuar na área, e a exploração do Programa de Inovação Cívica, onde estão projetos como a Operação Serenata de Amor. Além disso, Fernanda frisa que é importante manter o trabalho de articulações com a sociedade civil, auxiliando na abertura do governo no país. “A Fernanda Campagnucci tem uma trajetória incrível dedicada a fortalecer o acesso ao conhecimento e à informação pública. A entrada dela na direção executiva da Open Knowledge Brasil nos orgulha e certamente será um novo marco no caminho que temos trilhado para consolidar a organização como referência no cenário de governo aberto e tecnologias cívicas no país”, destacou Natália Mazotte. Seja bem-vinda, Fernanda. Flattr this!

O que rolou na Hackfest do MPRN

- July 23, 2019 in Destaque, Open Knowledge Brasil

Na última semana, o Mário Sérgio marcou presença na Hackfest 2019 para falar um pouco das novidades da Operação Serenata de Amor e dos outros projetos que tocamos dentro da Open Knowledge, como o Perfil Político. O evento, organizado pelo MPRN, pode ser dividido em dois grandes momentos. No primeiro, vimos a reunião de universitários de todo o nordeste engajados em torno de um hackathon, mote do evento, para desenvolver soluções com dados para beneficiar a sociedade. A ideia do evento é promover o uso de dados abertos e, para isso, além do hackathon, também há palestras de diferentes temas dentro da área. Foi isso que nosso ilustre Mário foi fazer por lá. Para inspirar os participantes, a programação de palestras trazia diferentes apresentações de uso de dados: pessoas do governo, representantes de ONGs e até do mercado expuseram seu trabalho e participaram do debate. A Rosie estava lá no meio. E por falar em Rosie, não foram apenas os universitários que ficaram tocados pela nossa inteligência artificial. Alguns servidores, presentes na palestra do Mário, se interessaram em uma possível colaboração entre a gestão pública e a OKBR. Quem sabe em breve anunciamos algumas novidades nesse sentido? Por fim, o evento deixou um recado: é preciso trabalhar sim para a abertura de dados, porém, com os dados que temos, já é possível desenvolver soluções para a gestão pública e para a sociedade civil. Faz parte de um conceito que nós já falamos há algum tempo: trabalhar e dar sentido aos dados é uma forma de garantir mais transparência e maior abertura de dados, também. Saímos do Rio Grande do Norte motivados. Obrigado, Hackfest. Obrigado, universitários do Nordeste. Com certeza nos vemos em breve. Flattr this!

Outros projetos de dados abertos que você pode ajudar

- July 11, 2019 in Dados Abertos, Destaque

*Por Pedro Vilanova e Adriano Belisário Estamos muito felizes que a campanha de crowdfunding da Escola de Dados foi um sucesso. Com 279 apoiadores, a iniciativa bateu e superou a meta estabelecida. Além do valor arrecadado, entre muitas mensagens, retuítes e palestras durante as semanas de campanha, podemos perceber a movimentação de pessoas com vontade de atuar ou auxiliar iniciativas que trabalham com dados abertos. Isso sem contar no empenho da própria comunidade, que ajudou a aumentar o engajamento e foi essencial para alcançarmos nosso objetivo. Quando uma iniciativa de dados abertos ganha, toda a comunidade também ganha. Pensando nisso, decidimos fazer uma lista de outros projetos da comunidade de dados abertos dos quais somos fãs e que todos os entusiastas da área deveriam conhecer e, se possível, colaborar. Todos têm o mesmo em comum: precisam da colaboração financeira das pessoas para que consigam continuar seu trabalho. Fiquem Sabendo O Fiquem Sabendo é mais uma iniciativa independente. Seu trabalho é de uma agência que busca, analisa, apura e transforma dados sobre serviços públicos em informação clara para a população, que pode acompanhar com facilidade como parte do dinheiro arrecadado pelo Estado está sendo utilizado. Atualmente, eles estão com uma campanha de crowdfunding recorrente ativa. Vale conhecer e colaborar. Colaboradados O Colaboradados é um projeto colaborativo, criado por amigos, para melhorar a transparência e o acesso a dados públicos por parte da população. Totalmente voluntário e sem fins lucrativos, a iniciativa tem um amplo menu com diferentes tipos de dados trabalhados pelos integrantes. Esse trabalho também por ser auxiliado por meio de um financiamento coletivo recorrente. Acesse aqui. Transparência Brasil Outra iniciativa com ampla atuação na abertura de dados e no empoderamento da população para monitoramento social é a Transparência Brasil. O grupo é responsável por projetos como o “Às claras” e o “Tá de pé?”, que auxiliam o acompanhamento da gestão pública e dos políticos. Você pode apoiar o trabalho da Transparência Brasil no financiamento organizado pela instituição. Brasil.IO O Brasil.IO é uma iniciativa que trabalha de forma contínua dando maior acessibilidade a bases de dados públicas antes inacessíveis. A partir do trabalho de “libertação de dados”, como o próprio projeto define, diversos datasets são disponibilizados para a população, auxiliando outras iniciativas e levando mais informação para a população. É possível colaborar com código para o projeto e fazer parte de seu crowdfunding. Vale muito a pena participar dessa iniciativa. Tem alguma iniciativa em dados abertos? Manda pra gente aqui nos comentários. Dissemine na comunidade. Assim, todo mundo ganha. Flattr this!