You are browsing the archive for #EuVoto.

#EuVoto chega a quatro cidades brasileiras

- September 8, 2016 in #EuVoto, Destaque, governo, governo aberto

euvoto Com o objetivo de permitir que os cidadãos registrem suas opiniões sobre os projetos de lei que tramitam na Câmara Municipal das suas cidades, a plataforma #EuVoto, aos poucos, tem sido adotada por coletivos em outras cidades, além de São Paulo (lançada em março de 2015). Atualmente, ela está presente em Belo Horizonte (MG), Piracicaba (SP) e, em breve, será lançada em Ilhéus (BA). Cada iniciativa é autônoma e independente. O software é livre e qualquer um que quiser pode subir uma instância e começar a operar a plataforma. Na visão geral da expansão da plataforma, Ariel Kogan, coordenador da #EuVoto, conta alguns destaques. “O software livre já foi replicado em três cidades no Brasil, e, logo, será lançado em uma quarta; assinamos um termo de cooperação para que o código seja utilizado pela Câmara Municipal de São Paulo. Esse termo ainda não foi cumprido. Subimos diversos projetos de lei para serem discutidos publicamente na plataforma”, detalha. Abaixo, fique por dentro das novidades de cada cidade que está trabalhando a plataforma: #EuVotoSãoPaulo  Em São Paulo, segundo o acordo assinado com a Câmara Municipal, a plataforma deve ser colocada no próprio site da casa nas próximas semanas. Segundo Ariel Kogan, um dos coordenadores locais de São Paulo, o engajamento das pessoas tem sido baixo. “Os picos de engajamento acontecem quando subimos projetos de lei que estão relacionados com temas que estão na pauta da opinião pública e as pessoas já estão discutindo fora da plataforma. Nessa situação, a plataforma serve como um espaço de opinião e debate mais organizado. O cumprimento do acordo por parte da presidência da Câmara Municipal de São Paulo é um passo fundamental para potencializar o engajamento e o impacto que a plataforma pode gerar no processo de participação da sociedade na casa legislativa.” #EuVotoPiracicaba  Em Piracicaba, com o apoio da Open Knowledge Brasil, a plataforma foi lançada em novembro de 2015, por meio de uma parceria entre o Observatório Cidadão de Piracicaba e a Rede Engajados. “Estamos monitorando os projetos de lei em tramitação na Câmara de Vereadores e inserimos aqueles com maior potencial de impacto na cidade e na vida da população. Cada projeto fica disponível para votação por tempo determinado, que especificado no site. O resultado é enviado a todos(as) os(as) vereadores(as), com o objetivo de contribuir com os debates e as decisões da Câmara”, disse Renato Morgado, coordenador do #EuVotoPiracicaba. A equipe é formada por cinco pessoas que, de forma voluntária, acompanham a tramitação dos projetos na Câmara de Vereadores de Piracicaba, divulgam a votação dos projetos que estão na plataforma, divulgam o resultado das votações para os vereadores e para a população em geral e realizam a manutenção do site. “Existe um forte interesse de parte da população em participar dos debates e das decisões públicas e o #EuVoto é um ótimo canal para isso. Atualmente temos mais de 300 pessoas que utilizam a plataforma. É uma quantidade boa, dado que lançamos há pouco tempo, mas queremos ampliar muito mais. Algumas pessoas e grupo solicitam a inclusão de projetos de lei, o que é um ótimo indicador de apropriação da iniciativa pela população”, conta Renato. Renato conta que, em novembro do ano passado, houve a aprovação do Projeto de Lei número 318/2015, que criou o Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM). “O projeto estava em tramitação na Câmara de Vereadores, quando o grupo Promotoras Legais Populares solicitou a inclusão dele no #EuVotoPiracicaba. O próprio grupo se empenhou bastante na divulgação da votação na plataforma. O resultado final, fortemente favorável à aprovação, foi divulgado nos jornais locais e para os Vereadores, que aprovaram o projeto alguns dias depois. Avaliamos que a mobilização do grupo e a votação do projeto por meio da plataforma foram essenciais para a aprovação do mesmo”, detalha. #EuVotoBH Lançada em maio de 2016, o #EuVotoBH tem sido atualizado com novos projetos, mas a equipe busca reformá-lo para atender melhor as necessidades. É o que afirma Guilherme Tampieri, um dos integrantes do Movimento Nossa BH – que coordena a plataforma. Cerca de sete pessoas colaboraram para o site entrar no ar. Quando o assunto é trabalhar a articulação local, Guilherme acredita que o projeto vai ganhar muito após o período eleitoral, inclusive uma possível parceria com a Câmara Municipal. Adriana Torres, também coordenadora da plataforma, tem trabalhado a divulgação das plataforma na mídia. “Recentemente, apresentei o #EuVotoBH no boletim que temos na rádio CBN e também fui convidada para falar na rádio Inconfidência. Tivemos uma aceitação muito grande, com acesso imediato à página do Nossa BH no Facebook e também ao site. Conseguimos agora um voluntário para nos apoiar nas melhorias que a plataforma precisa e nossa intenção é dar maior gás após as eleições, até para evitar qualquer tipo de insinuação que estamos apoiando ou não algum candidato.” Ela ainda afirma, que “se conseguirem fazer uma boa divulgação da plataforma, ela será de grande auxilio tanto para conscientizar melhor a sociedade em relação ao que acontece na Câmara Municipal quanto para conseguir mais apoio em relação aos projetos importantes que estão tramitando por lá (tanto como apoio para pressionar a aprovação dos bons projetos quanto para barrar os ruins).” #EuVotoIlhéus O #EuVotoIlhéus tem previsão de ser lançado até a primeira quinzena de setembro deste ano. De acordo com Maria do Socorro Mendonça, diretora-presidente do Instituto Nossa Ilhéus e coordenadora da plataforma, eles encontraram dificuldades em encontrar bons projetos de lei, dignos de serem colocados na plataforma para a população emitir seu parecer e contribuir. “Agora, com alguns projetos e já na plataforma, sabendo da existência de outros, enfrentamos a dificuldade de encontrar os Vereadores para que aconteça o lançamento já que estamos em período pré-eleitoral”, conta. A equipe conta com quatro pessoas. “Não temos pessoas específicas para esse trabalho. Nossa equipe é formada por quatro pessoas que fazem tudo: uma na área administrativa, outra na área de comunicação, eu na gestão do Instituto fazendo um pouco de tudo e articulações institucionais e um consultor na área de captação de recursos e apoiador de tudo também”, diz Socorro. Sobre a importância da plataforma para a cidade, Socorro afirma que é uma excelente oportunidade para os legisladores entenderem a importância de abrirem seus gabinetes de forma mais efetiva e não assistencialista. “Fazendo o que deve ser feito e é o seu papel quando legislando. É a grande oportunidade de encurtar a distância entre este poder e o verdadeiro poder. É um grande presente da sociedade civil para o poder legislativo. A partir do seu uso, a população se aproxima e fortalece o poder público constituído – é uma ponte para ligar esses dois mundos (Poder Legislativo e Sociedade Civil)”, afirma. Sobre o #EuVoto O #EuVoto é uma ferramenta que permite aos cidadãos opinarem sobre projetos de lei em tramitação na Câmara Municipal. O software utilizado pela plataforma é o DemocraciaOS, um programa livre criado na Argentina, e já presente em cidades da Argentina, do México, da Ucrânia, da Finlândia, da Espanha e dos Estados Unidos. Mais informações no Github. Flattr this!

Escola do Parlamento promove debate “Abrindo a Câmara”

- April 19, 2016 in #EuVoto, CMSP, colaboração, Conhecimento Livre, Dados Abertos, Destaque, escola de parlamento, Gastos Abertos, governo, governo aberto, São Paulo, sociedade civil, transparência

  • com informações da Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo
Captura de Tela 2016-04-19 às 15.01.00 A Escola do Parlamento promove o debate “Abrindo a Câmara” como parte de seu ciclo de debates gratuito. O encontro será no dia 28 de abril, das 19 às 22h, na Sala Sérgio Vieira de Mello, 1º subsolo, no Viaduto Jacareí, 100, em Bela Vista. O ciclo de debates pretende explicar o funcionamento da Câmara Municipal, apontar as experiências já vividas e apresentar possibilidades de práticas inovadoras. Este primeiro encontro apresentará o processo legislativo da Câmara, as instâncias de decisão, os agrupamentos e suas atribuições. Para debater, estarão presentes o vereador Paulo Fiorilo, Karen Lima Vieira da CMSP, Pedro Markun da Transparência Hacker, Rafael Carvalho da iniciativa Adote um Vereador e Thiago Barbosa da CBN. O evento é gratuito, mas possui vagas limitadas, e conta com a organização e realização da Escola do Parlamento, a CMSP, o projeto EuVoto e Update. Para se inscrever, clique aqui.   Flattr this!

Escola do Parlamento promove debate “Abrindo a Câmara”

- April 19, 2016 in #EuVoto, CMSP, colaboração, Conhecimento Livre, Dados Abertos, Destaque, escola de parlamento, Gastos Abertos, governo, governo aberto, São Paulo, sociedade civil, transparência

  • com informações da Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo
Captura de Tela 2016-04-19 às 15.01.00 A Escola do Parlamento promove o debate “Abrindo a Câmara” como parte de seu ciclo de debates gratuito, que faz parte da parceria firmada em dezembro entre a Câmara e o projeto EuVoto. O encontro será no dia 28 de abril, das 19 às 22h, na Sala Sérgio Vieira de Mello, 1º subsolo, no Viaduto Jacareí, 100, em Bela Vista. O ciclo de debates pretende explicar o funcionamento da Câmara Municipal, apontar as experiências já vividas e apresentar possibilidades de práticas inovadoras. Este primeiro encontro apresentará o processo legislativo da Câmara, as instâncias de decisão, os agrupamentos e suas atribuições. Para debater, estarão presentes o vereador Paulo Fiorilo, Karen Lima Vieira da CMSP, Pedro Markun da Transparência Hacker, Rafael Carvalho da iniciativa Adote um Vereador e Thiago Barbosa da CBN. O evento é gratuito, mas possui vagas limitadas, e conta com a organização e realização da Escola do Parlamento, a CMSP, o projeto EuVoto e Update. Para se inscrever, clique aqui.   Flattr this!

Open Knowledge Brasil e CMSP dão prosseguimento a acordo firmado em dezembro

- February 18, 2016 in #EuVoto, brasil, colaboração, Dados Abertos, Destaque, governo aberto, Internet, okbr, Open Knowledge Brasil, participação, planejamento, projetos, São Paulo, sociedade civil, transparência

Nesta quarta-feira (17/02), a Open Knowledge Brasil esteve na Câmara Municipal de São Paulo para dar prosseguimento ao acordo firmado no final do ano passado, no qual as partes comprometem-se a colaborar nos projetos EuVoto, Escola do Parlamento e na realização de eventos sobre abertura de dados, transparência e participação, que serão realizados ao longo do ano. A reunião também marcou a primeira apresentação da proposta do plano de trabalho da OKBr junto à CMSP.

Da esquerda para a direita: Antonio Donato, Ariel Kogan, Everton Zanella Alvarenga e Christy Ganzert Pato

Assinaram o documento ratificando a cooperação o presidente da Escola de Parlamento, Christy Ganzert Pato, o presidente da Câmara, vereador Antonio Donato, o diretor executivo da Open Knowledge Brasil, Everton Zanella Alvarenga, e o conselheiro deliberativo da OKBr e idealizador do EuVoto, Ariel Kogan. “Estamos empolgados com essa colaboração com a Câmara Municipal de São Paulo, abrindo esse diálogo com a sociedade civil por mais transparência nos processos da casa e pelo uso da tecnologia por um governo mais aberto”, afirmou Alvarenga, diretor da OKBr. “Com o acordo, a Open Knowledge Brasil coloca à disposição da Câmara Municipal de São Paulo todo o seu conhecimento e experiência na utilização e desenvolvimento de ferramentas cívicas abertas, jornalismo de dados e promoção do conhecimento livre”, ressalta Ariel Kogan. Também estiveram presentes como testemunhas da reunião membros da Comunicação Externa da Casa, assim como a Comunicação da Presidência e o Consultor de Tecnologia da Informação da CMSP, Eduardo Miyashiro.   Flattr this!

Transparência e participação cidadã são condições para o desenvolvimento sustentável

- February 11, 2016 in #EuVoto, colaboração, Dados Abertos, desenvolvimento sustentável, Destaque, governo, governo aberto, Internet, participação, sociedade civil, sustentabilidade, tradução, transparência

O acesso à informação pública e participação efetiva dos cidadãos na tomada de decisões e na construção de políticas públicas são, sem dúvida, os primeiros passos para reforçar a ligação entre representantes e representados, e avançar no sentido do desenvolvimento sustentável.
Crédito: opensourceway

Crédito: opensourceway

O termo desenvolvimento sustentável finalmente entrou para o padrão da opinião pública. Falamos sobre as mudanças climáticas, proteção e regeneração do ambiente, energia renovável, reciclagem, mobilidade sustentável, entre outros. Sem dúvida, este é um conceito amplo, em constante construção, ativa e dinâmica. No entanto, pouco se consideram duas questões-chaves e estruturais do desenvolvimento sustentável, que são a transparência “radical” e a participação cidadã efetiva. Transparência radical é um termo utilizado na política, no mundo empresarial e também no desenvolvimento de softwares para descrever ações e abordagens para aumentar radicalmente a abertura dos processos da organização e dos dados. Um bom exemplo de transparência radical aplicada ao poder público é a decisão do Reino Unido, por exemplo, de disponibilizar grandes quantidades de dados públicos em formatos abertos por meio da plataforma web CKAN. As manifestações em diferentes partes do mundo nos últimos anos mostram claramente o interesse dos cidadãos de aproximar-se da política e de participar de maneira efetiva na construção de soluções e das decisões que são tomadas e afetam diretamente (ou indiretamente) o curso do desenvolvimento, sua vida e seu futuro. Este novo tipo de comportamento, intimamente relacionado com uma sociedade em rede, mais conectada, graças às tecnologias e ferramentas do século XXI habilitadas pela internet, está mostrando o surgimento de um novo ecossistema de participação e de incidência política. Em todo o mundo, busca-se alternativas às tradicionais – e em grande parte desgastadas – ferramentas de participação. A promoção e implementação destes processos pode significar uma melhoria significativa no avanço dos mecanismos democráticos, de controle social, consulta à cidadania e construção de um diálogo social mais amplo, aberto e forte. O principal resultado é a construção de uma nova forma de dialogar e tomar decisões como sociedade. Este último, sem dúvida, é o principal desafio do século, para construir uma sociedade mais ética, justa e sustentável. Flattr this!

Como foi 2015 para a Open Knowledge Brasil: uma retrospectiva de nossos momentos

- January 29, 2016 in #EuVoto, brasil, ciência aberta, colaboração, Conhecimento Livre, Dados Abertos, Gastos Abertos, Open Knowledge Brasil, retrospectiva, São Paulo, sociedade civil, transparência, USP

Talvez seja certo afirmar que 2015 foi um dos anos mais movimentados da breve história da Open Knowledge Brasil. Com um início de reformulações para a instituição, o ano acabou se tornando bastante movimentado a partir de julho. Separamos, aqui no blog, alguns momentos dignos de lembrança. Logo no início de março, a plataforma virtual Eu Voto, iniciativa da Open Knowledge Brasil em parceria com a Fundação Avina, que permite à população votar em projetos de lei em tramitação na Câmara Municipal, foi lançada. No mesmo mês, houve um encontro visando discutir a governança da OKBr. Já em abril, nos dias 6 e 10, houve a primeira edição de 2015 do curso “Introdução ao Jornalismo de Dados”, em São Paulo. Realizado anteriormente em Salvador  e no Rio de Janeiro, esta edição foi oferecida pela Escola de Dados junto à Escola de Comunicação da Universidade de São Paulo (ECA/USP). O treinamento, gratuito, integrou o programa Partnership for Open Data (POD), uma parceria entre o Banco Mundial, o Open Data Institute e a Open Knowledge Internacional para acelerar a abertura de dados em países em desenvolvimento. Em julho, a OKBr promoveu, junto ao Eu Voto, o debate “Democracia e Internet: Criando uma cultura de participação política no século XXI”, que tinha como objetivo propor uma discussão aprofundada sobre as ferramentas tecnológicas para o uso e acesso a dados, decisões e construção do que é público, assim como sobre as novas iniciativas de participação política pela internet que estão surgindo no Brasil e no mundo. O evento contou com a participação de Marina Silva (Rede), ex-Ministra do Meio Ambiente e presidenciável nas eleições de 2014 pelo Partido Verde, Milton Jung, jornalista, âncora da rádio CBN e implementador da plataforma Adote um vereador; e Santigo Siri, co-fundador do Partido de la Red na Argentina, além de Ariel Kogan, conselheiro deliberativo da OKBr e idealizador da plataforma Eu Voto, e Heloisa Pait, professora de sociologia da UNESP,especialista em sociologia dos meios de comunicação e conselheira consultiva da OKBr. O mês também marcou o início da coordenação da Escola de Dados por Natália Mazotte, dando fôlego a uma série de novas atividades para o projeto ligado à OKBr.  
Agosto marcou o recebimento de um subsídio da Shuttleworth Foundation a nosso diretor executivo, para ajudar a conduzir a instituição. Também foi promovido um prêmio para um vídeo que explicasse a importância da Open Knowledge Brasil, que foi conquistado por Thiago Avila, pesquisador do Núcleo de Excelência em Tecnologias Sociais (NEES), Superintendente de Produção da Informação e do Conhecimento da Secretaria de Estado do Planejamento e Gestão de Alagoas. O mês teve uma agenda bastante movimentada, com a participação da organização em diversos eventos ligados ao conhecimento aberto, como Universidade Aberta, Inclusão Digital Aberta, Cidade Aberta, Paulista Aberta e Ciência Aberta. Este último tratou-se do lançamento do livro “Ciência Aberta, questões abertas”, que conta com capítulos escritos por colaboradores da OKBr e de atores ligados à nossa rede.
Em setembro, foi realizada a Con Datos e a desconferência AbreLatam. Alguns colaboradores da Open Knowledge Brasil participaram do evento e manifestaram suas impressões sobre as reuniões e sobre a comunidade de dados abertos, como Natália Mazotte e Marco Túlio Pires, da Escola de Dados, Thiago Rondon e Gisele Craveiro, assim como o diretor executivo da OKBr, Everton Zanella Alvarenga. Foi também neste mês que a instituição se manifestou abertamente contra o PL espião, projeto de lei que ainda está para ser votado e ameaça a liberdade de expressão na internet no Brasil. Ainda no dia 18 do mesmo mês, ocorreu o encontro Diálogos para Governo Aberto, organizado pela Controladoria Geral da União. A Open Knowledge Brasil foi uma das cinco organizações da sociedade civil escolhidas e subsidiadas para ir para Brasília. O principal objetivo do encontro foi fazer uma rodada de conversa sobre o Grupo de Trabalho da sociedade civil que participará da construção do 3º Plano de Ação do Brasil para a Parceria para Governo Aberto (Open Government Partnership – OGP). Outubro, por sua vez, foi marcado por nosso posicionamento em relação ao acordo que a Câmara Municipal de São Paulo fechou com a plataforma Vote na Web, ferramenta de código proprietário, paga e que pretere a plataforma que desenvolvemos e pretendemos usar junto à CMSP, o EuVoto. Consideramos que a situação foi um reflexo da falta diálogo entre a população e o poder público e, sobretudo, pedimos que as instituições públicas adotem processos mais transparentes, claros e coerentes. Ao final do ano, em novembro, a Open Knowledge Brasil participou do evento “Repensando as instituições e sistemas de participação no século XXI” no Columbia Global Center, no Rio de Janeiro. O movimento emergente do encontro se dedicará a pensar democracia digital e reformas estruturais no sistema político brasileiro. A reunião, realizada no dia 11/11, teve como um dos desdobramentos a conformação de um observatório em rede sobre democracia digital. No mesmo mês, nosso diretor executivo também esteve presente no Open Development Camp, em Haia, no painel “Breaking through silos”, com especialistas em organizações de tecnologia cívica (Everton Zanella, OKBr) ONGs (David Saldivar, Oxfam USA) e financiadores (Lea Gimpel, GIZ.de) discutindo suas experiências na empreitada de falar para além de seus pares. Como se nossa agenda já não estivesse cheia o suficiente, ainda em novembro, apoiamos o lançamento do Eu Voto Piracicaba, iniciativa conjunta do Observatório Cidadão de Piracicaba e da Rede Engajados. E fechamos uma parceria com a plataforma jornalística Aos Fatos, que produzirá histórias do orçamento para o projeto Gastos Abertos em troca do apoio que a Open Knowledge Brasil deu à sua campanha de crowdfunding. O início de dezembro marcou o começo do curso do projeto Gastos Abertos. No primeiro módulo das aulas, Pedro Marin explicou um pouco sobre orçamento público e Diego Rabatone falou sobre dados abertos e alguns conceitos importantes para jornalistas contarem suas histórias, como e o que é uma API. Já na segunda fase do curso, Natália Mazotte, coordenadora da Escola de Dados, apresentou os alunos a diferentes iniciativas de jornalismo de dados. Rodrigo Bugarelli ensinou os alunos a cruzarem dados, Marco Túlio Pires promoveu uma oficina sobre raspagem de dados e Natália Mazotte e Sérgio Spagnuolo mostraram aos jornalistas que participavam do curso ferramentas úteis para visualização de dados. O ano foi fechado com chave de ouro com nossa celebração, no dia 9 de dezembro, de um Termo de Cooperação Técnica com a Câmara Municipal de São Paulo. A data simbólica, do dia internacional contra a corrupção, marcou a assinatura de um documento no qual as partes se comprometem a desenvolver um programa de cooperação por meio de projetos, cursos e eventos, aprimorando o uso das tecnologias da informação e comunicação com o objetivo de ampliar e qualificar os espaços de participação cívica e estimular a transparência das instituições públicas. 20150303145302 20150303145306 20150301_170820 _MG_4668 _MG_4710 _MG_4801 _MG_4810 IMG_5515 IMG_5536 _MG_4663 _MG_4639 _MG_4813 IMG_5471 IMG_5549 _MG_4788 jorge Edital Governo Aberto Fernanda Campagnucci _MG_5023 _MG_5006 _MG_4909 GT de Ciência Aberta inclusao digital aberta helo e tom espacos urbanos IMG_5850 Kww18z8o9c4fgub3Vt1RFkJoU8Uuf6A9aIiYXh0J3kE Todos Abrelatam 2016 2015-09-18 15.57.33 abrelatam-condatos2 abrelatam-condatos abrelatam01 abrelatam02 11204399_10205361659027216_3455073508820645991_n 12232706_958350657570017_4666269818940930684_o 812337971_76644_12143393710532773371 2015-11-13 10.30.07 2015-11-13 09.45.14 aosfatosgastosabertos Pedro Marin aula Gastos Abertos cmsp2 cmsp1 cmsp3 Flattr this!

Open Knowledge Brasil celebra Termo de Cooperação Técnica com a Câmara Municipal de São Paulo

- December 17, 2015 in #EuVoto, colaboração, Conhecimento Livre, Dados Abertos, Destaque, Escola de Dados, governo, Internet, Jornalismo de dados, okbr, Open Knowledge Brasil, Parceiros, participação, planejamento, projetos, São Paulo, sociedade civil, software livre, transparência

A Open Knowledge Brasil (OKBr) e a Câmara Municipal de São Paulo (CMSP) celebraram a assinatura de um Termo de Cooperação Técnica não-oneroso, na última reunião da Mesa Diretora no dia 9 de dezembro. A data coincidiu com o dia internacional contra a corrupção. No documento, as partes se comprometem a desenvolver um programa de cooperação por meio de projetos, cursos e eventos, aprimorando o uso das tecnologias da informação e comunicação com o objetivo de ampliar e qualificar os espaços de participação cívica e estimular a transparência das instituições públicas. A parceria tem como objetivo potencializar o trabalho que a Open Knowledge Brasil vem realizando desde 2011, com ênfase na promoção do uso do software livre, a liberação de dados públicos em formatos abertos, uma maior transparência governamental e maior participação com o uso inteligente da tecnologia. “O termo envolve transferência de experiências e conhecimentos. A Câmara, assinando esse termo de cooperação com a Open Knowledge Brasil, formaliza seu compromisso com a sociedade civil na implementação de mecanismos que contribuam com uma maior transparência e participação cidadã. Com o apoio da Câmara, pretendemos criar novos projetos e dar continuidade a alguns já existentes, como a ampliação da seção de dados abertos no portal da Câmara e o desafios de dados abertos, por exemplo”, afirma Everton Zanella Alvarenga, diretor executivo da OKBr. “As instituições públicas têm um papel fundamental na implementação de ferramentas e processos abertos, que promovam maior transparência e participação cidadã, utilizando tecnologias da sociedade da informação. Através deste acordo, a Open Knowledge Brasil coloca à disposição da Câmara Municipal de São Paulo todo o seu conhecimento e experiência na utilização e desenvolvimento de ferramentas cívicas abertas, jornalismo de dados e promoção do conhecimento livre”, afirmou Ariel Kogan, conselheiro deliberativo da OKBr e um dos criadores do Eu Voto, plataforma que permite aos membros da CMSP saberem como seus projetos são avaliados pelos cidadãos paulistas.
Ariel Kogan, conselheiro deliberativo da OKBr,  e vereador Donato, presidente da CMSP

Ariel Kogan, conselheiro deliberativo da OKBr, e vereador Donato, presidente da CMSP

O acordo, válido por 3 anos, prevê a cooperação em quatro frentes diferentes: ampliação e qualificação dos espaços e mecanismos de participação cidadã, transparência da gestão pública e abertura de dados, realização de cursos e de eventos. Um plano de trabalho para essas quatro frentes está em construção junto aos interlocutores responsáveis por cada área dentro da Câmara Municipal de São Paulo e será divulgado no começo do ano que vem. A Comunicação Externa da Câmara se compromete, por meio do acordo, a apoiar e participar ativamente, do projeto EuVoto. A ideia é ir além da atual interface web do projeto, desenvolvendo novas versões que ajudem a fomentar maior envolvimento dos cidadãos. Os coordenadores da Escola de Dados (Open Knowledge Brasil) e Escola do Parlamento (Câmara Municipal de São Paulo) já começaram os diálogos e a construção do planejamento para definir as ações conjuntas. Será realizado, entre outros, um evento sobre participação cívica, dados abertos e governança de dados. Em relação à agenda de transparência, retomamos o diálogo com a presidência da Casa para que a lei 16.051, de 6 de agosto de 2014, seja regulamentada. Flattr this!

Observatório Cidadão de Piracicaba e Rede Engajados lançam o #EuVoto na cidade

- December 2, 2015 in #EuVoto, brasil, colaboração, governo, governo aberto, Internet, Parceiros, participação, São Paulo

Foi lançada, no dia 12/11, a plataforma #EuVotoPiracicaba, que permite aos piracicabanos e às piracicabanas opinarem sobre os projetos de lei em tramitação na Câmara de Vereadores. Trata-se de uma iniciativa conjunta do Observatório Cidadão de Piracicaba e da Rede Engajados, com o apoio da Open Knowledge Brasil. O programa utilizado pela plataforma é o DemocraciaOS, um software livre criado na Argentina, já presente em cidades da Espanha, dos Estados Unidos, da Finlândia, do México, da Ucrânia e lançado este ano na cidade de São Paulo pela OKBr.
Visualização da plataforma #EuVotoPiracicaba

Visualização da plataforma #EuVotoPiracicaba

“Estamos muito felizes pelo lançamento do #EuVotoPiracicaba, que mostra o potencial da plataforma (software livre) DemocraciaOS na promoção e aprimoramento dos processos de participação cidadã. Estamos à disposição para colaborar e trocar com os idealizadores da iniciativa para fortalecer o processo e aumentar o impacto na melhora da qualidade de vida na cidade. Outras cidades querem replicar o processo utilizando o DemocraciaOS e nos disponibilizamos a colaborar com essas iniciativas. Acreditamos que é um processo que se fortalece, e muito, com o trabalho em rede”, afirma Ariel Kogan, responsável pela implementação do #EuVoto no município de São Paulo e conselheiro da Open Knowledge Brasil. Segundo o site do #EuVotoPiracicaba, cada projeto ficará disponível para votação por tempo determinado e esta informação será especificada na página referente ao projeto de lei na plataforma. Os resultados das discussões sobre os projetos serão enviados a todos os vereadores e vereadoras da Câmara, com o intuito de contribuir com os debates e as decisões da casa. Os critérios para a escolha dos projetos que são inseridos na plataforma levam em conta o potencial de impacto dos mesmos na qualidade de vida da população da cidade, na sustentabilidade e conservação ambiental, nos direitos humanos e na justiça social, no desenvolvimento econômico do município e na transparência e na participação social nas decisões públicas. Além de votar e compartilhar sua opinião, o usuário também pode sugerir projetos de lei pelo e-mail de contato do site. Flattr this!

OKBr participa de eventos no Columbia Global Center Rio, em Haia e apoia lançamento da plataforma #EuVotoPiracicaba

- November 23, 2015 in #EuVoto, brasil, colaboração, Dados Abertos, democracia digital, Destaque, Gastos Abertos, governo, Internet, okbr, ongs, Open Knowledge Brasil, orçamento público, oscs, participação, planejamento, projetos, Rio de Janeiro, sociedade civil, transparência

Durante a segunda semana do mês de novembro, a Open Knowledge Brasil teve a oportunidade de participar da reunião de trabalho “Repensando as instituições e sistemas de participação no século XXI”. O movimento emergente do encontro se dedicará a pensar democracia digital e reformas estruturais no sistema político brasileiro. A reunião, realizada no dia 11/11, teve como um dos desdobramentos a conformação de um observatório em rede sobre democracia digital. O evento foi promovido pelo Columbia Global Center Rio em parceria com o Ministério da Cultura e sua Secretaria de Articulação Institucional (SAI). A alumn de Columbia e Program Officer do Global Center Rio, Bruna Santos é parte do grupo que conta com participantes do MinC, da Secretaria Geral da Presidência, do LabRio, do Banco Mundial, da Fundação Vale, do ITS, da UFBA, da PuC -Rio e com facilitação visual do Estúdio Pira. A OKBr parabeniza e saúda o esforço da Columbia em reunir os atores dessa rede. 12232706_958350657570017_4666269818940930684_o 12182798_958350577570025_1514861513780385028_o 12248253_958350574236692_7463241300516512448_o 11204399_10205361659027216_3455073508820645991_n

Facilitação visual: Estúdio Pira / Crédito das imagens: Columbia Global Center Rio

Ainda na mesma semana, no dia 12/11, o diretor executivo da Open Knowledge Brasil, Everton Zanella Alvarenga, participou do painel “Breaking through silos” (Rompendo silos, em tradução livre) no Open Development Camp. Realizado em Haia, na Holanda, o encontro tinha como objetivo promover um diálogo aberto e compromissos claros entre ativistas digitais, ONGs tradicionais, e financiadores a fim de identificar medidas sérias para combater os principais desafios que impedem uma colaboração mais forte entre esses atores. No painel, especialistas em organizações de tecnologia cívica (Everton Zanella, OKBr) ONGs (David Saldivar, Oxfam USA) e financiadores (Lea Gimpel, GIZ.de) discutiram suas experiências na empreitada de falar para além de seus pares. Everton mediou uma mesa de discussão dos problemas enfrentados pelas organizações, antigas e novas. O mais grave deles, segundo Everton, muitas vezes é o prazo dado pelos financiadoras para a fase de incubação do projetos, a fase criativa. Ele citou o exemplo do projeto Gastos Abertos: apesar de todos os problemas, os envolvidos passaram uma grande parte do tempo entendendo o produto que iriam desenvolver. Segundo Alvarenga, os entregáveis, as visitas, a formação de comunidades, são importantes, mas mais prioritário do que isso é a construção do produto a partir do problema que se tem e, para isso, vale a pena investir tempo na mantendo um diálogo com as pessoas que estão envolvidas com os problemas: as comunidades, os pesquisadores, etc. Além do painel, Everton apresentou o projeto Gastos Abertos, que em breve terá seu lançamento oficial.
2015-11-13 10.30.07 2015-11-13 09.45.14 812337971_76644_12143393710532773371
Aproveitando sua estada na Europa, Everton organizou um encontro em Amsterdã, que contou com a presença de vários membros da rede Open Knowledge.
Na mesma semana, no dia 12/11, houve o lançamento da plataforma #EuVotoPiracicaba, que permite aos piracicabanos e às piracicabanas opinarem sobre os projetos de lei em tramitação na Câmara de Vereadores. Trata-se de uma iniciativa conjunta do Observatório Cidadão de Piracicaba e da Rede Engajado, com o apoio da Open Knowledge BrasilO programa utilizado pela plataforma é o DemocraciaOS, um software livre criado na Argentina, já presente em cidades da Espanha, dos Estados Unidos, da Finlândia, do México, da Ucrânia e lançado este ano na cidade de São Paulo pela OKBr.
Flattr this!