You are browsing the archive for índice de dados abertos.

Mapeamento mostra interesse de cidadãos por replicar o ODI em diversas cidades brasileiras

Elza Maria Albuquerque - July 8, 2017 in Dados Abertos, Destaque, índice de dados abertos, mapeamento, ODI

No dia 30 de junho, finalizamos a enquete “Você quer construir o Índice de Dados Abertos da sua cidade?” e o resultado foi bastante positivo: 216 pessoas mostraram interesse em fazer o levantamento de forma voluntária em suas cidades! Em breve, vamos enviar um e-mail para todos para compartilharmos os próximos passos do projeto. O objetivo da enquete foi mapear grupos de pessoas e organizações interessadas em realizar o levantamento Índice de Dados Abertos. A meta principal foi ampliar a abrangência da pesquisa e, principalmente, conhecer melhor a situação das políticas de transparência e Dados Abertos em outros municípios brasileiros. A iniciativa é da Open Knowledge Brasil (OKBR) e a Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV (FGV DAPP). “Ficamos surpresos e felizes com um número de pessoas interessadas em construir o ODI nas mais diversas regiões do Brasil. A agenda de transparência e dados abertos ganham cada vez mais espaço na agenda de participação da sociedade civil no processo de abertura dos governos”, conta Arie Kogan, diretor-executivo da Open Knowledge Brasil. O próximo passo é a definição das primeiras cidades que vão ter o Índice de Dados Abertos. E, logo após, o foco é começar a capacitação das pessoas que vão realizar esse levantamento. Aguardem os próximos passos que vamos executar! O Índice de Dados Abertos Em abril e maio deste ano, a Open Knowledge Brasil (OKBR) e a Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV (DAPP) lançaram as edições brasileiras do Open Data Index (ODI). Ao todo, foram construídos três levantamentos para o país: Open Data Index (ODI) Brasil, no nível nacional, e ODI São Paulo e ODI Rio de Janeiro, no nível municipal. O objetivo do Índice de Dados Abertos é avaliar o estado da política de dados abertos de cada país ou cidade, levando em consideração todas as suas características: o tipo de dado que é divulgado, os formatos, a facilidade de acesso e a transformação dos dados em informação, entre outras. Ele avalia diversas dimensões, tais como finanças públicas, dados socioeconômicos, legislativos e eleitorais, serviços públicos, informações geolocalizadas e indicadores ambientais. O índice oferece um parâmetro de referência sobre a capacidade dos governos de fornecer dados abertos, apresentando essa informação de forma clara, fácil entendimento e usabilidade. Leia também:Você quer construir o Índice de Dados Abertos da sua cidade? Flattr this!

Após processo de revisão do Índice de Dados Abertos, São Paulo recebe nova nota

Elza Maria Albuquerque - June 16, 2017 in Dados Abertos, Destaque, índice de dados abertos

Foto de vista aérea da cidade de São Paulo. Céu está azul com poucas nuvens.

Vista aérea da cidade de São Paulo. Foto: Pexels / Pixabay / Creative Commons CC0

No final de abril, a Open Knowledge Brasil (OKBR) e a FGV/DAPP lançaram o Índice de Dados Abertos da cidade de São Paulo (Open Data Index – ODI, em inglês). Ele oferece um parâmetro de referência sobre o estado dos dados abertos nos governos, apresentando essa informação de forma clara, de fácil entendimento e usabilidade. O ODI avalia o estado da política de dados abertos de cada país ou cidade, levando em consideração todas as suas características: o tipo de dado que é divulgado, os formatos, a facilidade de acesso e a transformação dos dados em informação, entre outras. Ele avalia diversas dimensões, tais como finanças públicas, dados socioeconômicos, legislativos e eleitorais, serviços públicos, informações geolocalizadas e indicadores ambientais. Após o lançamento e a divulgação do resultado dos índices, a metodologia prevê um mês para que os governos enviem seus feedbacks. No caso da cidade de São Paulo, a Prefeitura cumpriu e enviou sua análise detalhada dentro do prazo. Parte das colocações da Prefeitura implicaram em revisões do índice, por incorporar bases de dados que não haviam sido contempladas no processo de levantamento, enquanto que outras colocações não necessariamente afetaram o escore final da cidade. “O feedback dos governos é muito importante porque permite uma confirmação oficial dos resultados obtidos no levantamento do Índice. A partir do retorno da Prefeitura de São Paulo, os cálculos foram refeitos e a nota da cidade mudou de 75% para 81%”, conta Ariel Kogan, diretor-executivo da OKBR. “A revisão do índice para São Paulo incorporou fontes alternativas de informação apontadas pela Prefeitura, em especial para o dataset de Propriedade da Terra, que foi o fator que implicou em melhora da performance da cidade” afirma Wagner Oliveira, pesquisador da FGV/DAPP. Confira, o feedback da Prefeitura de São Paulo, e a resposta que os responsáveis pelo Índice de Dados Abertos (OKBR e FGV DAPP) deram a partir da análise. Índice de Dados Abertos para outras cidades Nós, OKBR e FGV/DAPP, decidimos ampliar o índice para outras cidades do Brasil. Para que isso aconteça, estamos mapeando grupos de pessoas e organizações interessadas em realizar o levantamento Índice de Dados Abertos em outras cidades do país. Os candidatos precisam preencher a enquete “Você quer construir o Índice de Dados Abertos da sua cidade?”. A ideia é ampliar a abrangência da pesquisa e, principalmente, conhecer melhor a situação das políticas de transparência e Dados Abertos em outros municípios brasileiros. Uma agenda importante no contexto que vivemos. A pesquisa estará disponível até o dia 30/06. Carta da OKBR e da FGV/DAPP. (para baixar) Feedback da Prefeitura de São Paulo (para baixar) Flattr this!

Você quer construir o Índice de Dados Abertos da sua cidade?

Elza Maria Albuquerque - June 3, 2017 in Dados Abertos, Destaque, índice de dados abertos

Foto vista panorâmica da cidade de Itabira, Minas Gerais. Casas e prédios pequenos e, ao fundo, um morro.

Vista panorâmica da cidade de Itabira, Minas Gerais. Foto: Pixabay / ckirner / Creative Commons CC0

Nos meses de abril e maio deste ano, a Open Knowledge Brasil (OKBR) e a Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV (DAPP) lançaram as edições brasileiras do Open Data Index (ODI). A partir do trabalho conjunto entre as duas instituições, foram construídos três levantamentos para o país: Open Data Index (ODI) Brasil, no nível nacional, e ODI São Paulo e ODI Rio de Janeiro, no nível municipal. Esses dois últimos índices fazem parte de uma iniciativa pioneira, já que, pela primeira vez, o Brasil teve ODIs locais, além do levantamento na esfera federal. Decidimos ampliar o índice para outras cidades do Brasil. Para isso, estamos mapeando grupos de pessoas e organizações interessadas em realizar o levantamento Índice de Dados Abertos em outras cidades do país. Os candidatos precisam preencher a enquete “Você quer construir o Índice de Dados Abertos da sua cidade?”. A ideia é ampliar a abrangência da pesquisa e, principalmente, conhecer melhor a situação das políticas de transparência e Dados Abertos em outros municípios brasileiros. Uma agenda importante no contexto que vivemos. A pesquisa estará disponível até o dia 30/06.

Entenda o Índice de Dados Abertos

O objetivo do Índice de Dados Abertos é avaliar o estado da política de dados abertos de cada país ou cidade, levando em consideração todas as suas características: o tipo de dado que é divulgado, os formatos, a facilidade de acesso e a transformação dos dados em informação, entre outras. Ele avalia diversas dimensões, tais como finanças públicas, dados socioeconômicos, legislativos e eleitorais, serviços públicos, informações geolocalizadas e indicadores ambientais. O índice oferece um parâmetro de referência sobre a capacidade dos governos de fornecer dados abertos, apresentando essa informação de forma clara, fácil entendimento e usabilidade.

Como começou

Na segunda metade de 2016, a FGV/DAPP firmou uma parceria com a Open Knowledge Brasil com o objetivo de contribuir para o levantamento anual das informações do Índice de Dados Abertos nacional e para detalhar e aprimorar a metodologia do índice aplicado em nível subnacional – cidades. Esse é um projeto pioneiro na promoção da transparência nos municípios brasileiros, uma vez que o índice pode ser utilizado como ferramenta de avaliação e identificação de gargalos, para orientar os municípios em relação ao aprimoramento de suas políticas de dados abertos. A parceria entre OKBR e FGV/DAPP busca contribuir para que os municípios tenham ferramentas capazes de aumentar a eficácia de suas políticas de transparência e dados abertos e sua capacidade de resposta e diálogo com os cidadãos. Flattr this!

Índice mostra situação de dados abertos e transparência em São Paulo

Elza Maria Albuquerque - April 25, 2017 in Dados Abertos, Destaque, índice de dados abertos, Open Data Index